ASSALTANTES LEVARAM R$ 2 MILHÕES DE AGÊNCIA BANCÁRIA EM BOTUCATU, DIZ POLÍCIA

O grupo de assaltantes armados com fuzis e metralhadoras que enfrentou a Polícia por mais de duas horas noite do último dia 29 e madrugada do dia 30, conseguiu fugir com cerca de R$ 2 milhões de uma agência bancária. A notícia foi publicada pelo jornal Folha de São Paulo e confirmada ao Acontece Botucatu pela Seccional de Polícia.

O total do roubo, de acordo com a Polícia Civil, era de R$ 3,6 milhões. Porém, conforme já noticiado pelo Acontece Botucatu, o valor de R$ 1,6 milhão foi deixado pelos criminosos durante a violenta fuga pelas ruas da cidade. O valor estava dentro de um veículo utilizado na noite dos ataques.

O confronto terminou apenas na madrugada já de quinta-feira, 30. Durante buscas pela manhã do mesmo dia, um homem apontado pela polícia como suspeito foi morto. A família nega que ele seja criminoso, afirmando que era morador de rua.

Segundo matéria da Folha de São Paulo, o armamento apreendido pela polícia tem valor estimado em R$ 1 milhão. As armas eram alugadas do próprio ciclo do crime, diz a Polícia.

De acordo com o Polícia Civil, o grupo tinha aproximadamente 30 integrantes. A ação criminosa espalhou pânico em toda a cidade.

Os criminosos roubaram veículos e fizeram reféns durante a ação. Dois policiais foram feridos a tiros, atendidos na mesma noite e passam bem. Um deles foi ferido no calcanhar e, outro, no braço e na perna.

O inquérito que envolve os ataques e a morte do homem durante troca de toris está sendo conduzido pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais).

Suspeitos presos 

Ontem o TOR (Tático Ostensivo Rodoviário) prendeu cinco suspeitos de apoio aos criminosos. Eles foram abordados na Rodovia Castelo Branco, pedágio de Itatinga, após saírem de Botucatu na tentativa de resgatar um dos participantes do crime.

Houve fuga e acompanhamento na rodovia por 80 km. Após as detenções, já em Boituva, o grupo foi levado para o Plantão da Polícia de Botucatu. Eles foram ouvidos e passaram por exames de corpo de delito no IML.

As quatro mulheres e um homem tiveram suas prisões preventivas decretadas pela Justiça e ontem mesmo e foram levados para penitenciárias paulistas, conforme divulgou o Acontece Botucatu.