Polícias Civil e Militar de SP terão viaturas blindadas a partir de dezembro

As primeiras 70 viaturas blindadas de São Paulo serão disponibilizadas à Polícia Militar, em dezembro. A partir de março de 2021, policiais civis também receberão 105 camionetes com proteção especial.

Os automóveis foram adquiridos pelo governo do estado por R$ 23 milhões segundo anúncio feito pelo governador João Doria (PSDB), no Palácio dos Bandeirantes.

“Essas são as primeiras viaturas blindadas da história da Polícia Civil e da Polícia Militar. A exemplo da Polícia Militar do Estado de São Paulo, a Polícia Civil também terá veículos blindados para garantir a segurança dos seus policiais e a melhoria na eficiência da pronta resposta nas ruas”, disse o governador.

Segundo o governo, os blindados servirão especialmente em situações de enfrentamento a criminosos com risco de trocas de tiros. “Isso aumenta a qualidade do trabalho e protege policiais”, disse o secretário de Segurança Pública, João Camilo Pires de Campos.

Na coletiva, o governo estadual também anunciou a abertura de 400 escolas em tempo integral a partir de fevereiro de 2021, o que representará um total de 1.064 escolas nessa modalidade em todo o estado.

“Já somos maior rede em números absolutos em escolas de tempo integral no Brasil”, relembrou o secretário de Educação, Rossieli Soares.

O governador também anunciou a abertura de 24.734 empresas na Junta Comercial de São Paulo no mês de outubro.

“Esta é a terceira quebra seguida de recorde histórico de abertura de novas empresas em São Paulo, o que demonstra que a economia do estado está se recuperando”, comemorou Doria.

Doria ainda disse que, no próximo ano, abrirá um escritório representante do paulista em Nova York, nos EUA.

“Evidentemente, vamos aguardar o resultado, mas antecipo que, se eleito for, Joe Biden, terá outra visão sobre o continente latino-americano. Será bom pra Argentina, Mercosul e, espero, para o Brasil. Os EUA são parceiros importantes, poderemos fortalecer esta relação e ao mesmo tempo retirar esse estigma de contrariedade com a China”.

 

Informações CNN