O WhatsApp decidiu reduzir o limite de encaminhamento de mensagens e agora os usuários só podem compartilhar um material encaminhado, em uma conversa de cada vez. A medida, que começa a valer a partir desta terça-feira (7), é uma tentativa de conter a desinformação alimentada por mensagens com notícias falsas compartilhadas por meio do aplicativo, incluindo supostos conselhos médicos, desde o início da crise do novo coronavírus.

A pandemia, que já matou mais de 70 mil pessoas pelo mundo, vem sendo acompanhada pelo que a Organização Mundial de Saúde (OMS) chama de “infodemia” de desinformação, levando governos e outras autoridades a pedir às empresas de redes sociais que façam mais para combater o problema. Com mais de 2 bilhões de usuários no mundo todo, o WhatsApp disse, em um blog, que decidiu alterar a configuração de compartilhamento após observar um “aumento significante” no número de mensagens encaminhadas desde o início da crise da COVID-19.

“Acreditamos que é importante frear a disseminação dessas mensagens para que o WhatsApp continue sendo um local para conversas pessoais”, afirmou a companhia em um comunicado. Um porta-voz da empresa disse que o novo limite funcionará por tempo indeterminado. O WhatsApp tem realizado ações semelhantes desde 2018, depois de que boatos disseminados por meio da plataforma desencadearam uma onda de espancamentos e mortes na Índia.

Já em 2019, usuários passaram a poder encaminhar mensagens a apenas cinco destinatários ou grupos de uma única vez, limite que antes era de 20 conversas. O aplicativo também passou a destacar qualquer mensagem que tenha sido encaminhada mais de cinco vezes.

O Facebook e o Twitter têm atuado para conter a disseminação de informações médicas falsas publicadas nos últimos meses, proibindo os usuários de postar dados enganosos sobre o novo coronavírus, incluindo negações de orientações especializadas e incentivos a tratamentos falsos. Mas essa moderação direta dos conteúdos não é possível no WhatsApp, pois as conversas no aplicativo são protegidas por criptografia de ponta a ponta, impedindo até mesmo que a empresa veja o conteúdo compartilhado pelos usuários. 

Isso permite que grupos de centenas de pessoas compartilhem textos, fotos e vídeos, sem ter como monitorar a origem ou alcance desses materiais.

Segundo o WhatsApp, a redução do limite anterior – de 20 para 5 destinatários de uma vez – levou a uma queda de 25% dessas mensagens. 

A empresa também encoraja as pessoas a sinalizarem circulação de conteúdo suspeito e encaminhar a organizações que possam checar as informações.