O Instituto Federal de São Paulo (IFSP) localizado na cidade de Avaré também será afetado com o corte de recursos anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro que será no entorno de R$ 35 milhões.

Em entrevista ao Jornal da Paulista, o diretor geral do polo de Avaré, Francelino Sebastião da Cruz, que está à frente da direção da unidade desde 2013 informou que o local atende atualmente cerca de 1800 alunos sendo 1200 regulares e 650 de cursos de educação continuada.

Ao total são 650 unidades do Instituto Federal no Brasil e 36 polos no Estado de São Paulo

“Em Avaré o nosso corte foi de 37%, o valor já está bloqueado e nós temos um grupo de estudos na reitoria que está verificando qual será o impacto no orçamento”.

Sebastião informou que algumas atividades já estão sendo suspensas nas áreas de ensino, pesquisa e extensão para o segundo semestre, bem como compras de equipamentos e novos investimentos, além dos contratos terceirizados que já estão sendo enxugados.

O diretor ressaltou que essa organização orçamentaria está sendo realizada para que seja mantido as atividades mínimas dos alunos até dezembro de 2019 que inclui as bolsas dos alunos e os auxílios.

O Instituto Federal oferece ensino técnico integrado, ensino técnico concomitante e cursos superiores. Atualmente o local conta 10 cursos e as inscrições podem ser feitas através da realização do ENEM e também do Sisu.

Sebastião informou que no próximo dia 15 de maio será realizada uma mobilização na cidade, através de uma convocação nacional com o intuito de mostrar para a população os trabalhos que são realizados no Instituto e a importância da educação em Avaré e região.

A caminhada será iniciada ás 11h00 da manhã com saída do Instituto Federal e ficará até a 17h00 no Largo São João com demonstrações das atividades e projetos desenvolvidos pelos alunos.

“O Instituto Federal tem uma importância muito grande para a cidade de Avaré e região e acredito que a transformação social de um país tem que passar pela educação, por isso é importante a gente abraçar essa luta”, concluiu o diretor geral do IFSP de Avaré.  

JORNALISMO – PAULISTA FM