Ouça a entrevista

Em julho de 2018 o CVV, Centro de Valorização à Vida através do Ministério da Saúde deu um importante passo ao permitir o serviço de ligação gratuita em todo país e diariamente com o intuito de prevenir o suicídio.

O serviço oferecido de forma voluntária e gratuita tem como objetivo prestar apoio a todas as pessoas que queiram ou precisem de apoio emocional ou psicológico de forma segura e sigilosa.

A disponibilidade do serviço implantado no ano passado com certeza foi um importante passo para prevenção dos casos, porém, é preciso que o assunto seja colocado em pauta cada vez mais uma vez que o número de vidas encerradas por conta do suicídio vem aumentando cada dia mais.

Em entrevista à Rádio Paulista FM, a psicóloga, Maria Fernanda Pimentel ressaltou sobre a importância de falar sobre o assunto e de que maneira é possível ajudar as pessoas que estejam passando por um momento difícil.

“A palavra suicídio vai muito além do que só tirar a própria vida. São problemas desencadeados no dia a dia que acabam levando ao pensamento negativo e resultando em um desfecho triste e incompreendido. É sempre importante lembrar que um suicida não quer colocar fim em sua vida na maioria dos casos, mas quer colocar um fim em seus problemas, em sua angústia e em sua incompreensão”, disse Maria Fernanda.

De acordo com a psicóloga, qualquer pessoa que apresente sinais relacionados ao suicídio necessita de atenção.

“Ao contrário do que o ditado popular diz, “cão que ladra, não morde”, falando em suicídio, esta é uma fala que não se aplica. Uma pessoa que dá sinais, que fala sobre vontade de não existir e morrer, que ameaça e tenta o suicídio, tem grande potencial para se tornar um suicida. É comum que exista o pensamento de que a vítima está ameaçando suicídio apenas para chamar a atenção, mas a questão vai para muito além disso: a vítima que fala, ameaça ou tenta é um suicida em potencial e deve ser tratada e compreendida corretamente para que sua vida seja preservada”, disse a psicóloga.

Maria Fernanda concluiu ressaltando a importância de falar sobre o assunto e principalmente de se atentar aos sinais que as pessoas podem apresentar, “O número de suicídio atualmente é muito alto e uma das maneiras de evitar que isso ocorra é analisando o comportamento das pessoas que estão próximas de nós e que fazem parte do nosso convívio, pela maneira como elas se referem a própria vida, a frequência que elas costumam falar de morte e observar mudanças de comportamento que muitas vezes podem estar ligadas a uma insatisfação de viver”, concluiu.

Serviço: O serviço do CVV está à disposição 24 horas por dia, seja por telefone fixo, celular, orelhão através do número 188, além de atendimento por e-mail, correspondência e até mesmo pessoalmente em polos de assistência.

Jornalismo – PAULISTA FM