Após requerimento enviado ao Ministério Público denunciando o Chefe do Executivo por não conceder a correção inflacionária prevista por lei aos funcionários públicos, o Poder Executivo teria se manifestado na última semana informando que seria concedido um reajuste de 3% ao funcionalismo.

Porém, o projeto ainda não teria sido protocolado na Câmara Municipal e informações dão conta de que existe uma resistência por parte dos vereadores uma vez que a porcentagem de apenas 3% seria baixa.

Em entrevista ao jornalismo da rádio Paulista, o presidente da Câmara de Vereadores, Francisco Barreto, informou que até ás 14:00 desta terça-feira o projeto de reajuste ainda não teria sido protocolado no Poder Legislativo.

O vereador ainda informou que “existe um manifesto interno dentro da Câmara que não concorda com o reajuste de apenas 3% considerando muito pouco e que após a chegada do projeto a Casa de Leis e a decorrência dos tramites legais, os vereadores devem defender a correção de 4,67%”.

Barreto ainda informou que a correção dada pela Câmara aos seus funcionários é de 4,67% e que essa porcentagem deve servir como base para os vereadores em relação ao funcionalismo.

Também foi informado que para aprovação desse projeto deve existir a necessidade de audiência pública e a participação dos servidores.